Perícia do INSS: como comprovar que sua doença é decorrente do seu trabalho?

Muitos trabalhadores são vítimas de doenças relacionadas ao trabalho, ou seja, doenças do trabalho, ocupacionais ou acidente de trabalho.  

Quando isso acontece é importantíssimo que o médico perito do INSS reconheça o nexo de causalidade entre a doença e o trabalho, pois isso garante ao trabalhador uma série de direitos, tais quais indenização por danos materiais, indenização por danos morais, FGTS durante o período de afastamento, estabilidade no emprego, pensionamento vitalício, entre outros. 

Abaixo algumas dicas para que você consiga provar que a sua doença decorre do seu trabalho.

Dicas para a perícia médica do INSS

Antes da perícia

  • Após confirmada a doença do trabalho ou ocupacional e emitido atestado médico para afastamento superior a 15 (quinze) dias, o trabalhador deve comunicar a empresa e entregar o atestado para que a empresa tome as devidas providências. Ao receber os documentos médicos que confirmem que a doença é relacionada ao trabalho, a empresa deverá emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e entregar ao trabalhador. No entanto, é bastante comum que a empresa não o faça. Se a empresa não se dispuser a emitir a CAT, o médico, o sindicato da categoria ou o próprio trabalhador pode elaborar a CAT; 
  • Comunique seu médico que você passará por uma perícia no INSS. Assim, ele poderá lhe orientar se há algum outro exame ou documento médico a ser levado na perícia; 
  • Comunique a empresa onde trabalha sobre a perícia;
  • Tenha uma cópia de todos os seus documentos médicos (exames, atestados, prontuários, receitas etc). As cópias podem ser entregues à empresa, ao médico da empresa, aos médicos peritos, ao seu advogado etc.  

No dia da perícia

  • No dia da perícia, chegue com 10 minutos de antecedência
  • Leve seus documentos pessoais, sua carteira de trabalho ou carnês de contribuição e todos os seus documentos médicos (exames, atestados, prontuários, receitas etc.), especialmente a CAT (Comunicado de acidente de trabalho), os originais e as cópias. Para facilitar a análise do perito, organize-os em uma pasta por ordem de data; 
  • É importante guardar cópia de todos os documentos médicos, pois o perito do INSS pode reter esses documentos. Se isso ocorrer, caso seja necessário usar esses documentos para nova perícia ou então para ingressar com uma ação judicial, você os terá à disposição; 
  • Se estiver trabalhando, leve a Declaração de Último Dia Trabalhado devidamente assinada pelo responsável do RH da empresa; 
  • Apresente-se com discrição e roupas confortáveis. O médico perito estará te avaliando desde o momento da sua chegada, antes mesmo de você ingressar no consultório para perícia; 
  • No momento da perícia, não tente aumentar as demonstrações de dor ou de dificuldade de movimentos. Caso o Perito do INSS entenda que você está demonstrando mais dor do que sente, pode achar que você está mentindo. Como resultado, isso pode inviabilizar o seu benefício.

Siga sempre essas dicas para a perícia médica e tenha sempre todos os documentos com você. Suas chances de conseguir o benefício a que tem direito serão maiores. 

Se o INSS negar o benefício ou não reconhecer que o nexo entre a doença e o trabalho, procure um advogado especialista de sua confiança para interpor Recurso Administrativo contra a decisão ou, se for o caso, ingressar com ação judicial. 

Tem alguma dúvida?

Agende sua consulta.

Compartilhar :

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Postagens recentes:

REALIZOU TRABALHO RURAL ANTES DOS 12 ANOS DE IDADE? FIQUE ATENTO!

Saiba mais sobre como averbar o seu tempo de trabalho rural anterior aos doze anos…

PENSÃO POR MORTE: EQUIPARAÇÃO DO MENOR SOB GUARDA

Como fica o direito à pensão da crianças e do adolescente sob guarda, no caso…

DIVISOR MÍNIMO: COMO ELE ME AFETA?

Entenda o que é o divisor mínimo, como ele é aplicado no cálculo da sua…